quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Apenas um hospital na Grande Natal oferece almoço aos servidores e acompanhantes


Sem mantimentos suficientes, hospitais param de fornecer alimentação de acompanhantes e servidores. Estoques de alimentos devem durar somente até a próxima semana, e o motivo é a falta de pagamento por parte da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) aos fornecedores. Ao todo são sete hospitais no RN que passam dificuldade e não têm como oferecer refeição.
Giselda Trigueiro está sem alimentação para acompanhantes e servidores desde esta quinta (10). O estoque garante apenas a alimentação de pacientes até o dia 20 de novembro. No João Machado, a alimentação para acompanhantes e servidores também foi suspensa. A comida que tem no estoque para os pacientes só dura até segunda-feira (14).
No Santa Catarina, os servidores e acompanhantes não têm refeição desde quarta-feira (09). Apenas a alimentação dos pacientes está garantida, mas com risco de acabar na terça (15). O hospital Maria Alice que já vem enfrentando uma situação bem difícil com o fechamento da UTI pediátrica, não terá almoço para os servidores a partir desta sexta (11). Para os acompanhantes e pacientes as refeições serão garantidas apenas por mais uma semana. O hospital também vive uma escassez de feijão há dois meses.
Walfredo Gurgel – maior hospital do estado, está há dois dias sem comida para os servidores e acompanhantes. A partir desta sexta (11), a Sesap irá fornecer quentinha até terça (15). Por falta de mantimentos, os servidores do Deoclécio Marques têm o cardápio restrito na janta. Falta frango e ovos desde o dia 01 de novembro, o feijão é somente para os pacientes. No Ruy Pereira, o almoço não é servido para servidores e acompanhantes, e o café da manhã e a janta têm o cardápio restrito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário